Publicado em Sem categoria

Livro

O meu dia começou corrido. Levantei atrasado e no caminho tenho que passar em uma loja onde quero comprar um livro, que finalmente consegui juntar a grana. Talvez seja mais fácil achar num sebo, na verdade vou na hora do almoço, faço o intervalo em 15 minutos e fico com mais tempo para aproveitar outros títulos.

Tom não contava com a maior habilidade dele que era de se atrasar.

Ah! droga, vou me atrasar de novo e ainda tenho que fazer o relatório deste medicamento. vou acabar indo em uma livraria mesmo.

Ele pegou o  trem e chegou na livraria, só não contava com a fila enorme e poucos atendentes. 

  • Oi, tudo bem? meu nome é Tom, onde fica o corredor sete?
  • Olá, Tudo bem senhor, a sua direita no final vira a esquerda.
  • Obrigado, Brenda.

 

Corre, será que consigo achar? – falando comigo mesmo – Nossa que menina linda, justamente ela está tirando foto próxima ao livro que procuro, deve ser alguma blogueira. Bom pelo menos o livro está ali, logo vai ser meu.  

  • Oi, Você me poderia dar licença? Ei, Oi? 
  • AH, oi, Desculpa.
  • Então, posso ver essa prateleira que está atrás de você?
  • Você trabalha aqui? 
  • Não não, só queria um livro que me falaram que estava nessa corredor.
  • Qual livr..?

Antes terminasse a pergunta, uma senhora entrou no corredor sete e foi na direção certeira, não onde estava o tom e nem onde estava a garota desconhecida e sem cerimônias pegou um livro e pelos olhos arregalados de Tom, era o que ele queria.

  • Não! não! não!
  • O que foi meu filho? 
  • Eu tava procurando esse livro, não sabe o quanto to querendo ele. 
  • imagino, meu filho também, não para de falar nele. 
  • Senhora, por favor, tive um dia tão corrido hoje e deixa eu levar esse?
  • mas e se for o último, meu filho vai ficar sem! não posso fazer isso.
  • pago o dobro pra senhora hein
  • Não e já disse não! Me dê licença por favor, sim.

Tom foi se sentar em algum banco longe da livraria, lá ficou horas pensando? 

  • O que faço agora? sem livro, nem almocei direito, O que faço?

Neste mesmo instante uma garota se aproxima dele 

  • Oi, estranho da livraria, tudo bem? 
  • Oi, não muito? 
  • Ela não quis te vender o livro mesmo né? 
  • como você sabe disso? 
  • Eu estava do seu lado, como você esqueceu disso ? 
  • Desculpa, eu tava querendo tanto aquele livro que nem prestei a atenção.
  • Posso saber o seu  nome? 
  • Sim, Clarissa. 
  • Meu nome é Tomás mas todo mundo me chama de Tom.
  • Muito prazer, Tom. 
  • Você aceita tomar um café comigo, Clarissa? 
  • Sim, mas não posso demorar muito, moro longe daqui. Demorei por que quis te entregar isso.

 

Sem acreditar tom abre e logo olha o que tem dentro e fica sem reação.

 

  • mas? que? como? 
  • Não foi nada, você não queria tanto o livro?
  • Sim, mas … 
  • Quanto te devo? 
  • Nada demais, um café está bom. 

 

Neste momento Tom não se importará mais com o livro.

Autor:

Químico, sonhador, cinéfilo, vascaíno, contista e a única maratona que fiz, foi de serie. Divirtam-se.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s