Publicado em Sem categoria

Livro

O meu dia começou corrido. Levantei atrasado e no caminho tenho que passar em uma loja onde quero comprar um livro, que finalmente consegui juntar a grana. Talvez seja mais fácil achar num sebo, na verdade vou na hora do almoço, faço o intervalo em 15 minutos e fico com mais tempo para aproveitar outros títulos.

Tom não contava com a maior habilidade dele que era de se atrasar.

Ah! droga, vou me atrasar de novo e ainda tenho que fazer o relatório deste medicamento. vou acabar indo em uma livraria mesmo.

Ele pegou o  trem e chegou na livraria, só não contava com a fila enorme e poucos atendentes. 

  • Oi, tudo bem? meu nome é Tom, onde fica o corredor sete?
  • Olá, Tudo bem senhor, a sua direita no final vira a esquerda.
  • Obrigado, Brenda.

 

Corre, será que consigo achar? – falando comigo mesmo – Nossa que menina linda, justamente ela está tirando foto próxima ao livro que procuro, deve ser alguma blogueira. Bom pelo menos o livro está ali, logo vai ser meu.  

  • Oi, Você me poderia dar licença? Ei, Oi? 
  • AH, oi, Desculpa.
  • Então, posso ver essa prateleira que está atrás de você?
  • Você trabalha aqui? 
  • Não não, só queria um livro que me falaram que estava nessa corredor.
  • Qual livr..?

Antes terminasse a pergunta, uma senhora entrou no corredor sete e foi na direção certeira, não onde estava o tom e nem onde estava a garota desconhecida e sem cerimônias pegou um livro e pelos olhos arregalados de Tom, era o que ele queria.

  • Não! não! não!
  • O que foi meu filho? 
  • Eu tava procurando esse livro, não sabe o quanto to querendo ele. 
  • imagino, meu filho também, não para de falar nele. 
  • Senhora, por favor, tive um dia tão corrido hoje e deixa eu levar esse?
  • mas e se for o último, meu filho vai ficar sem! não posso fazer isso.
  • pago o dobro pra senhora hein
  • Não e já disse não! Me dê licença por favor, sim.

Tom foi se sentar em algum banco longe da livraria, lá ficou horas pensando? 

  • O que faço agora? sem livro, nem almocei direito, O que faço?

Neste mesmo instante uma garota se aproxima dele 

  • Oi, estranho da livraria, tudo bem? 
  • Oi, não muito? 
  • Ela não quis te vender o livro mesmo né? 
  • como você sabe disso? 
  • Eu estava do seu lado, como você esqueceu disso ? 
  • Desculpa, eu tava querendo tanto aquele livro que nem prestei a atenção.
  • Posso saber o seu  nome? 
  • Sim, Clarissa. 
  • Meu nome é Tomás mas todo mundo me chama de Tom.
  • Muito prazer, Tom. 
  • Você aceita tomar um café comigo, Clarissa? 
  • Sim, mas não posso demorar muito, moro longe daqui. Demorei por que quis te entregar isso.

 

Sem acreditar tom abre e logo olha o que tem dentro e fica sem reação.

 

  • mas? que? como? 
  • Não foi nada, você não queria tanto o livro?
  • Sim, mas … 
  • Quanto te devo? 
  • Nada demais, um café está bom. 

 

Neste momento Tom não se importará mais com o livro.

Publicado em ooo, Sem categoria

Aquele olhar

Aquele olhar era desconhecido, eu o vira quando era mais novo e só mas tarde fui reconhece-lo em outra pessoa, e sim, foi uma das paixonites que tive nos bons tempos da  minha idade, se torna mais interessante  e imensamente louco quando eu o reconheci em outros lugares, em outras formas, e em suas extensões. Aquele olhar era de admiração pura, aquele olhar de quando você encontra sua outra metade e era aquele olhar de amor quando você vê seu reflexo nos olhos e alma da outra pessoa, e era de tentação também por motivos óbvios.

Aquele olhar era o que me fazia levantar toda manhã para me preencher um pouco dele e continuar a viver, pois eu sei que me faltava, ou se eu o tivesse não era o bastante para senti-lo comigo vinte e quatro horas por dia, até que um dia eu notei que tenho uma metade para poder preencher com a outra metade e não uma metade qualquer e sim aquela que nos completa, aquela que vem junto com um olhar, com aquele olhar.

macro photography of eye
Foto por Josiel Miranda em Pexels.com

Continuar lendo “Aquele olhar”

Publicado em Sem categoria

Conexão

Acontece comigo quase toda hora. Lembro me do seu rosto, do seu abraço, do seu cheiro, do seu toque suave, dos seu olhos, do seu beijo e com isso começo a sorrir, é assim mesmo automático, como se uma parte do meu cérebro me fizesse, por mais de um instante a pessoa mais feliz no mundo, e somente você era capaz de ativar isso em mim. Eu sei é lindo. Logo em seguida eu penso em quão longe você está, de algum modo sinto me despedaçar por inteiro. Sabe aquela sensação de arrancar um doce da mão de uma criança? pois é, eu sou essa criança. E dói. Uma dor cujo o único remédio era a sua presença. Então sigo assim, penso em você, sorrio, sofro e rezo, peço a Deus pra iluminar nossas vidas e a de quem amamos.
Nesta vida se não viemos pra ficar juntos, viemos para marcar.

Publicado em Sem categoria

O importante é que amei

Amei uma mulher e não uma garota, seu olhos eram tão escuros, como uma noite densa e o seu sorriso mais luminoso, que o mais belo amanhecer. Sua luz me fez acreditar que tudo era possível, até em morrer e continuar vivo. Em cada brisa parece que sinto o teu perfume, não esses de marcas, e sim, o seu cheiro sensual e único, seus lábios macios como uma cereja e sua pele mais leve que seda. Jamais vi tamanha bondade e gentileza.